Best fit Form/Biketech – Inscrições Santiago

cats

Se interessados em participar neste passeio a Santiago (Best fit Form/BikeTech), preencham o formulário abaixo e cliquem em submeter.

Logo que as inscrições sejam encerradas os inscritos receberão no seu email mais informações e indicações necessárias para que possam efectuar sinalização.

Inscrições encerradas

cats

NOTA: – Qualquer participante ao inscrever-se neste evento está a ter em conta que a organização se limita a fornecer aos participantes a logística de transporte e alojamento, não sendo por isso em caso algum responsável pelos custos inerentes a qualquer incidente, acidente ou doença que possam acontecer ao participante durante este percurso.

A Organização

João Saúde/Celso Valente com apoio Gai@Bikers

Logo-GB-Transparente

Anúncios

Passeio BTT Best fit Form/BikeTech – Custos

cats

Passeio BTT Best fit Form/BikeTech a Santiago

Custos Previstos

 

A logística deste evento  para maior facilidade no controlo de custos, contempla como já devem ter lido todas as despesas de transporte (Participante+Bike – Autocarro+Viat.Apoio), alimentação e estadia em quarto duplo, (Dormida/Jantar/Pequeno-almoço), estando unicamente excluidos os almoços durante os 3 dias da viagem. Além disso contempla também a Credencial de Peregrino e o tão ansiado Banho aquando da chegada a Santiago bem como os custos inerentes a uma Viatura de apoio (e respectivo motorista) que acompanha os participantes nestes 3 dias, o que permite apoio e transporte da bagagem durante a viagem e no regresso assegura o transporte das bicicletas dos participantes.

Logística

O valor previsto a pagar pela participação no evento está a ser planeado para não exceder um tecto máximo de 160,00€. (valor que poderá ser reduzido no caso de o numero final de participantes ultrapassar o numero previsto neste planeamento).

Pré-inscrição obrigatória até dia 15 de Fevereiro de 2014.

O nº de pré-inscritos vai assim ditar um valor de custo final que será divulgado a todos os que fizerem a sua pré-inscrição até ao dia 15 de Fevereiro de 2014.

Serão nessa altura por email informados todos os pré-inscritos do custo definitivo e solicitada a confirmação da sua inscrição, a confirmação terá obrigatoriamente de ser sinalizada com um valor de 50,00€ até ao dia 28 de Fevereiro de 2014 para que possam efectivamente participar no evento. (O pagamento dever ser efectuado por transferência para o NIB indicado no email e obrigatoriamente deverá ser enviada cópia do comprovativo da transferência para esse email).

Sinalização obrigatória até dia 28 de Fevereiro de 2014.

Esta sinalização é obrigatória, até porque será necessário sinalizar também os Hotéis onde serão feitas as dormidas e refeições no final das etapas, bem como outras reservas necessárias ao evento.

O valor remanescente terá obrigatoriamente de ser liquidado até ao dia 10 de Abril, caso assim não aconteça a reserva efectuada será cancelada sem direito a devolução do sinal entregue.

O pagamento final obrigatoriamente terá de ser feito até dia 10 de Abril de 2014.

As reservas efectuadas poderão ser canceladas até ao dia 31 de Março de 2013, e o valor de sinal será devolvido ao participante, findo esse prazo não serão efectuadas devoluções de sinal.

Caso o participante pretenda quarto individual e não a partilha de um quarto duplo, deverá informar a organização do facto e será informado do o valor adicional a liquidar. ( Esse valor deverá ser adicionado ao valor de sinal ).

A distribuição de quartos é feita pela ordem de chegada das pré-inscrições, pelo que se algum dos participantes desejar partilhar o quarto com algum outro participante, terá de informar previamente a organização, (no acto da inscrição nas Observações), não sendo depois a troca possível senão por acordo entre participantes.

 

NOTA: – Qualquer participante ao inscrever-se neste evento está a ter em conta que a organização se limita a fornecer aos participantes a logística de transporte e alojamento, não sendo por isso em caso algum responsável pelos custos inerentes a qualquer incidente, acidente ou doença que possam acontecer ao participante durante este percurso.

Recomendamos aos participantes que façam o pedido do “Cartão Europeu de Seguro de Doença”, para salvaguardar qualquer eventualidade.

Sigam este link e saibam como obter esse cartão

http://www4.seg-social.pt/pedido-cartao-europeu-seguro-doenca
 
http://www4.seg-social.pt/documents/10152/21732/GIT_53_DGSS

 

Passeio Best Fit Form/BikeTech 2014.

Estão abertas as inscrições, façam a vossa preencham a ficha abaixo e cliquem em submeter para a enviar.

 

FICHA DE INSCRIÇÃO

 

Dúvidas e outras informações :

gaia.bikers@hotmail.com

 

A Organização

João Saúde/Celso Valente com apoio Gai@Bikers

Logo-GB-Transparente 

Best fit Form/BikeTech a Santiago logística

cats

Passeio BTT Best fit Form/BikeTech a Santiago Logística

O Ponto de encontro deste passeio será nas instalações do Ginásio Best fit Form pelas 8.00h, nessa altura a bagagem será colocada na viatura de apoio e pelas 8.30h acontecerá a partida para a sé do Porto, ponto inicial do trajecto dos Caminhos de Santiago.

Neste caso todo o planeamento vai ser elaborado para uma viagem em bicicleta num período de três dias, o mais habitual neste trajecto. No sentido de facilitar ao máximo esta Aventura BTT a Santiago vai ser preparada uma logística que contempla Transporte de regresso ( Participante + Bicicleta ), Estadia, ( Dormida + Jantar + Pequeno-almoço ), Credencial do Peregrino, Banho no final do passeio e ainda uma viatura de apoio para transporte de bagagem, nessa viatura qual serão colocadas à disposição dos participantes água e fruta, esta viatura vai periodicamente encontrar-se com os participantes no sentido de lhes dar a possibilidade de repor líquidos e alimentação, e também permitir que qualquer avaria mais grave seja resolvida ou em último caso recolher e transportar o azarado “Bicigrino”, para tal será divulgado no dorsal do participante o contacto telefónico do veículo bem como os contactos dos elementos da organização, (João Saúde e Celso Valente).

Logística

A carrinha vai encontrar-se com o grupo uma vez durante a manhã e uma vez durante a tarde, estando previsto que saia do hotel depois das 9h da manhã e que se encontre no hotel seguinte pelas 17.30h. Os participantes deverão colocar nela a bagagem pela manhã e deverão levantar a bagagem no hotel seguinte depois da hora prevista para chegada.

NOTA 1: – As Bebidas a consumir durante o Jantar, (vinho – cerveja – sumos – bebidas espirituosas) não estão incluídas no valor de inscrição, pelo se os participantes as pretenderem consumir terão de as solicitar e terão obrigatoriamente de ser responsáveis pelo seu pagamento.

NOTA 2: – A carrinha nunca chegará ao hotel antes das 17.30h pelo que é recomendável não fazer deste percurso uma competição e chegar antes disso ao hotel, (só terão a perder, pois terão de aguardar a sua chegada e perderão seguramente de ver, fotografar e visitar alguns interessantes pontos do percurso).

camas-duplo-horz

A estadia está programada em quartos duplos a serem distribuídos pelos participantes em função da ordem de inscrição, sendo que no caso de casais ou elementos participantes que queiram compartilhar o mesmo quarto deverão informar disso a organização, no preenchimento do formulário de inscrição no item Observações, é colocada também a opção de estadia em quarto individual para quem assim o pretender, logicamente com o acréscimo de preço correspondente, (os que manifestarem essa intenção serão informados por email do acréscimo a pagar).

Nos custos de participação além da viatura de apoio, da estadia com jantar e pequeno-almoço, transporte de regresso do participante e respectiva bicicleta e credencial do Peregrino, está também incluído o custo do banho aquando da chegada a Santiago, (o local do banho está identificado no dorsal de cada participante). Não esquecer de levar toalha de banho.

chuveiro-1

NOTA: – O custo do almoço será sempre da responsabilidade do participante, sendo este livre de o fazer em qualquer local à sua escolha.

Os participantes tem total autonomia durante o passeio, não sendo obrigados a seguir em grupo até ao destino do final do dia, porém terão de ter em conta que o percurso é longo e devem chegar ao destino a tempo de tomarem um bom banho antes do jantar.

Este é um percurso que é feito em grande parte por estradas abertas ao trânsito devendo pois os participantes respeitar o código da estrada.

NOTA: – Qualquer participante ao inscrever-se deverá ter em conta que a organização se limita a fornecer aos participantes a logística de transporte e alojamento, não sendo em caso algum responsável pelos custos inerentes a qualquer incidente, acidente ou doença que possam acontecer ao participante durante este percurso.

Recomendamos aos participantes que façam o pedido do “Cartão Europeu de Seguro de Doença”, para salvaguardar qualquer eventualidade.

Sigam estes links e saibam como obter esse cartão

http://www4.seg-social.pt/pedido-cartao-europeu-seguro-doenca

http://www4.seg-social.pt/documents/10152/21732/GIT_53_DGSS

A organização

João Saúde/Celso Valente com apoio Gai@Bikers

Logo-GB-Transparente

Best Fit Form/Biketech – Etapas previstas

cats

Passeio BTT Best fit Form/BikeTech a Santiago

As etapas previstas

Os Caminhos de Santiago Portugueses tem na Sé do Porto o seu mais conhecido ponto inicial, neste Passeio BTT a Santiago (Best fit Form / BikeTech), o encontro e partida serão no Ginásio Best fit Form mas está prevista uma primeira paragem na Praça da Sé para que seja registada em fotos a passagem neste mítico ponto.

No Terreiro da Sé do Porto começam a aparecer as célebres setas amarelas, pintadas em muros, postes de iluminação e mesmo no chão, que quando seguidas conduzem cerca de 240Km depois à Praza do Obradoiro frente à Catedral de Santiago destino final deste passeio. Não esqueçam de ir colocando durante o trajecto na credencial que vos foi distribuída os carimbos necessários para receberem em Santiago o Diploma de Peregrino.

O planeado para este passeio é o seguinte.

1ª Etapa – Porto/Ponte de Lima

Porto-P.Lima

Este longo trajecto, a planeado para ser feito em três dias, tem como etapa ideal no seu primeiro dia a ligação a Ponte de Lima, esta ligação tem cerca de 90km com uma forte vertente do trajecto a ser efectuada em estrada.

Nesta parte do percurso o grau de dificuldade é baixo, fruto de um grande número de Km a fazer em estrada e de um relevo pouco acentuado, só na zona de S. Pedro de Rates começam a aparecer os tão esperados trilhos.

Tradicionalmente a paragem para almoço é feita um pouco antes ou em Barcelos, aproveitando assim os Bicigrinos para desfrutar do  melhor que a gastronomia da região lhes pode proporcionar.

Entre Barcelos e Ponte de Lima voltam a aparecer os trilhos que que tanto deliciam os Bicigrinos, ainda que sem grandes desníveis o gozo de fazer BTT começa por estas bandas e termina já bem próximo das margens do Rio Lima.

 

2º Etapa – Ponte de Lima/Pontevedra

Ponte de Lima-Pontevedra

Esta é a etapa mais dura deste percurso, primeiros Km de trilhos planos servem de aquecimento aos Bicigrinos para a “Subida”, uma constante ascensão de cerca de 11 Km que os leva de uma cota ao nível do Rio até pouco mais dos 400m de altitude em plena Serra da Labruja.

Pelo Caminho, um cruzeiro (sugestivamente conhecido por Cruz dos Mortos…), permite fotos e descanso, sendo depois com mais ou menos dificuldades atingido o topo, a “Casa do Guarda Florestal”.

A descida… é radical, e depois de muita adrenalina, ao fundo o piso passa a ser pedra gasta pela erosão de muitas rodas e muita água, que mesmo no pino do calor muitas vezes permanece enlameada.

Aparece a ponte de Agualonga, velha e gasta, e é atravessado o limpo Rio onde ainda se vê o peixe… Mais subidas e descidas, mais monte, mais campo, mais trilhos, a ponte romana de Piorado sobre o rio Coura, e a partir da localidade de S. Bento da Porta Aberta (Paredes de Coura), quase sempre a descer, lá se atinge Valença do Minho com a sua ponte metálica, de ligação a Tui.

Estão percorridos 35 km e nesta localidade alguns Bicigrinos aproveitam para almoçar, sendo que as alternativas são passar a fronteira e almoçar em Tui, ou fazer mais 20 km (de trajecto plano essencialmente em estrada), e almoçar em Porrinõ nas belas esplanadas da zona central da cidade, deixando assim para a tarde os 35 km acidentados Km finais da jornada.

Mesmo nas portas de Porrinõ começa mais uma fantástica sucessão de trilhos em ambiente de montanha, nada que se compare a subir a “Labruja”, mas seguramente uma delícia para os que mantenham ainda um vigor físico capaz de os fazer desfrutar destes abençoados trilhos do percurso.

 

3º Etapa Pontevedra/Santiago

Pontevedra-Santiago

Cerca de 65km separam agora o nosso objectivo, no centro da cidade, é de aproveitar para conhecer o interior da Igreja da Virgem Peregrina Padroeira da Rota Portuguesa, Igreja construída segundo uma planta em forma de vieira, bem como a praça em frente, apropriadamente chamada de “A Peregrina”.

De seguida uma fase inicial ascendente conduz os Bicigrinos a trilhos que serpenteiam pelo meio de vinhas e os levam a Caldas de Reis onde é obrigatória a visita à pia “Las Burgas” (datada de 1881), situada em frente da estância termal, e onde reza a tradição os peregrinos lavam os pés em água quente termal.

Voltam depois a fabulosas paisagens, é alcançado um frondoso bosque e a viagem prossegue num constante sobe e desce, um fantástico trilho a descer conduz até perto da entrada da cidade (Santiago) e felizmente para todos depois do seu final o trajecto recentemente alterado, já não obriga a enfrentar a terrível subida do Hospital, mas sim um novo percurso que sendo de pendente positiva é bem mais suave que o original e conduz à parte antiga da cidade e pouco depois ao desejado “objectivo”, a Praza do Obradoiro frente à Catedral de Santiago.

Lá chegados tradicionais fotos de grupo e visita à Catedral, antecedem o planeado e merecido banho, altura em que as bikes devem ser colocadas na viatura de apoio e a bagagem deve ser recolhida para posteriormente ser colocada no autocarro que pelas 17.30h locais estará no ponto de recolha dos participantes, (junto da Catedral na central de camionagem).

Existe ainda tempo suficiente para a visita à loja do Peregrino onde é obtido o seguramente desejado Diploma uma visita à Catedral, algumas compras e para desfrutar de um merecido ainda que tardio almoço.

 

NOTA: Aos participantes será entregue uma credencial, onde se assim o pretenderem devem registar vários pontos de passagem de molde a obterem o diploma de peregrino no final do percurso.

 

A Credencial

Credencial-Diploma

As credenciais pretendem ser uma prova de que o caminho foi percorrido e por isso devem ir sendo carimbadas em várias localidades do percurso, em igrejas, albergues, hotéis, ou mesmo estabelecimentos comerciais. Dão direito a receber no final, na loja do peregrino em Santiago de Compostela um diploma escrito em Latim que certifica que o seu portador foi Peregrino a Santiago de Compostela.

 

A Organização

João Saúde/Celso Valente com apoio Gai@Bikers

Logo-GB-Transparente

 

A Rota do “dói-dói” – Ovar

A Rota do dói-dói

 

   Eu sei que este trajecto começou por ser, a “Rota da Melga e do Mosquito”, passou depois a ser a “Rota do Cogumelo”, mas acho que vai ficar definitivamente a chamar-se a “Rota do dói-dói”, no seguimento desta crónica vão ficar a perceber porquê.

” Os Putos “

   Antes do relato do dia, deixo desde já o relatório de avarias, coisa que parece perseguir-nos nos últimos eventos e que neste passeio nos fez estar parados exactamente uma hora, bem cá vai, drop-out empenado – corrente rebentada – furos, e pronto agora só falta a parte boa e a recordar.

Participaram neste evento

   Tal como combinado, grupo participante reunido na Bicigaia, bicicletas carregadas na nossa Vito e toca a rolar para a rotunda Ovar-Sul, poucos minutos depois das 9 inicio do passeio com trajecto inicial junto da A29 seguindo depois até junto da A1, nesta fase constatamos que alguns dos antigos trilhos estão a fechar e que outros pura e simplesmente despareceram, infelizmente fruto da plantação de uma zona de eucaliptos.

   O pouco declive do trajecto contribuía para um bom ritmo, e rapidamente atingimos o gasoduto que corre junto da A1, nessa altura os “Putos” entraram em acção e o picanço aconteceu, um aperto de um lado, uma escorregadela do outro e o choque foi inevitável causando a queda dos dois, sendo que o David trouxe deste episódio alguns arranhões na perna enquanto o Domingos com um pouco mais de sorte só trouxe como recordação alguma terra da zona no equipamento.

Remendos Bicigaia

   E aqui começou a mais marcante recordação do passeio e a razão do título desta crónica, os “PUTOS” discutiram, atiraram culpas um ao outro, fizeram até birra, e durante cerca de 15 km estiveram de beiças, com o inevitável “gozo” dos restantes participantes, pena foi que a birra pouco tempo durou e estou em crer que no caminho de regresso já estavam prontos para outra aventura.

   Mas continuemos com o que interessa, depois do gasoduto, a zona do Rio onde usamos o túnel para passar por baixo da A1, e paragem para desinfectar convenientemente o dói-dói do David, continuando depois a seguir trilhos até junto da estrada que conduz a Oliveira de Azeméis, e seguindo trilhos que nesta zona de pinhal nos conduzem até bem próximo de Pinheiro da Bemposta na zona da Branca.

A subida

   Depois de uma agradável descida a tormentosa subida a pé dos bem inclinados 250m que nos voltam a trazer a trilhos mais planos em cota ao nível da A1, um pouco de improviso que nestes passeios fica sempre bem, mas que neste caso nos conduziu a um campo recentemente lavrado que acabamos por atravessar, e toca a rumar ao centro de Válega curtindo mais alguns trilhos desta vez já em zona rural. Um pouco de estrada até junto da Igreja e pouca distância nos separa do estradão de terra que nos leva até bem próximo dos carros.

 

Rescaldo do passeio

Um rolante e agradável passeio BTT, com um divertido grupo feito nos trilhos rurais e florestais da bonita zona de Ovar.

Cliquem para »»Fotos

Vídeo do passeio

Um abraço a todos os presentes,

 

 

 

Gaspar Moreira

 

Quase até à Madalena

Rasgar Trilhos até à Madalena

   Ponto de encontro BICIGAIA, hora prevista para início 9h, trajecto previsto Bicigaia/Madalena/Bicigaia, nada disto aconteceu….

Quase ao bater das 9, dois retardatários informam que estão quase a chegar e pedem para aguentar um pouco, ok tudo bem vamos lá perder alguns minutos e completar o grupo, 11 elementos equipados tudo pronto para partir, lá vamos nós e logo na partida uma das bikes começa a fazer um ruido na roda da frente, diagnóstico do Salvador, mola das pastilhas trocada e toca a arrancar que as 9,30h estavam próximas.

Aguardando a 1ª reparação

Quase meia hora de atraso implicou ligeira alteração no trajecto, menos terra a rasgar mas tudo bem, como já é habitual nos meus trajectos não seguimos directos ao destino previsto, neste caso rumamos para o interior em direcção a Perosinho, alguns trilhos um pouco de estrada e eis-nos chegados ao estádio Jorge Sampaio, nessa altura mais um troço de ligação e pouco depois já na terra passamos por baixo da auto-estrada seguindo até Vila D`este, o improvisado traçado levou-nos depois até à zona do Cedro, altura de mais um percalço o Domingos Moreira tem um problema na roda traseira, mais uma dor de cabeça para o Salvador resolver.

a descida

Bike a 100% e arrancamos para Vilar do Paraíso, porém ainda na zona do Cedro desta vez o Salvador ao calcar um vidro fura o pneu traseiro, pensando que o liquido anti furo resolveria a questão toca a por a bomba a funcionar, e tudo parecia estar ok pelo que lá arrancamos novamente, mas nem 1 km passado vejo que faltam alguns elementos do grupo, indico aos presentes um café como ponto de encontro e volto para trás ao encontro dos supostamente perdidos. Afinal era mais uma vez o pneu do Salvador o causador do atraso, o líquido não vedou o rasgo e foi preciso montar uma nova câmara-de-ar.

a troca da câmara

Nessa altura qualquer esperança de ainda chegarmos à Madalena deixou de existir, e ao reunir o grupo transmiti isso mesmo, faríamos alguns trilhos na zona mas sem atingir o previsto destino.

atravessando a linha

Aproveitamos a ligação pelos terrenos da Cerâmica para seguir em direcção á praia de Valadares e muito antes de lá chegar viramos para um trilho com duas pequenas e estreitas pontes de madeira e iniciando assim o caminho de volta.

o trilho

O tempo escasseava, atravessamos a linha do comboio, subimos um engraçado trilho e descemos o pinhal junto da Groz-Beckert onde uma pequena ligação nos conduziu até um trilho que desemboca na zona industrial de S. Caetano. Nessa altura o tempo aconselhava a seguir pelo trajecto mais curto e assim comemos um pouco de alcatrão até ao centro de Canelas, seguindo depois directos á Serra de Canelas que atravessamos subindo na zona da Capela, passando no campo de futebol e descendo a encosta em direcção aos Carvalhos.

O tempo apertava e a opção foi rumar á Nacional e fazer nela os 4 km que nos separavam da Bicigaia. Batiam as 12,30h e lá chegamos nós, parecíamos Britânicos mesmo no gong.

 

Um abraço aos onze presentes,

Bicigaia

Gaspar Moreira

 

Rescaldo do passeio

Bem menos km que o previsto e menos trilhos rasgados, mas estou certo de que todos nos divertimos. Nem sempre tudo corre como o previsto, mas o divertimento e convívio, esses nunca falham, coisas do BTT.

 

Dados GPS do passeio

Distancia total percorrida – 37,8 km

Tempo em deslocação – 2h 33m

Tempo parados – 46m 19s

Velocidade média em deslocação – 14,8 km/h

Velocidade média do trajecto – 11,3 km/h

Velocidade máxima – 48,7 km/h

Ascendente total – 709m

Inquérito resposta multipla (2)

 

Santiago 2011 – 3º Dia

Passeio a Santiago – 3º Dia 12/6/2011

   Depois de mais uma noite de descanso, ao raiar da manhã pequeno-almoço e preparativos de partida, no meu caso hora de trocar a câmara da roda da frente, o tal furo mesmo ao chegar a Pontevedra, manhã escura e com nuvens baixas faziam prever um dia excelente para o final desta aventura.

A partida e o furo

A fase inicial desta última etapa é bastante agradável, sendo os primeiros 20km feitos quase sempre fora de estrada e sem grandes desníveis, pelo caminho o verde da paisagem cativa e a passagem na zona das vinhas é seguramente um ponto que fica gravado na memória de todos.

A zona das vinhas

Ainda bem cedo chegamos a Caldas de Reis, recolha de carimbo na esquadra local e visita obrigatória à fonte de água quente, e nessa altura mais um percalço me atormenta, o cabo das velocidades rebenta e é necessária a sua substituição, felizmente estávamos precavidos para esta eventualidade e rapidamente a avaria foi reparada, um pouco de estrada nos separava do Camiño do Trainol e novamente rolávamos em percurso fora de estrada.

A mudança do cabo

O percurso era agora um pouco mais difícil com alguns km de subida, mas como todos sabem, depois de uma agradável subida existe sempre uma fabulosa descida e para a frente é que é o caminho. Com a chegada a Padron, novamente rolamos um pouco em estrada, felizmente um trajecto curto e em zona plana, com a terra a aparecer rapidamente só cerca dos 45 km de percurso fomos novamente incomodados pelo declive, era altura de parar um pouco e desfrutar de mais uma sandocha de “Jamon” acompanhada de uma bebida energética “Cerveza” no caracteristico ponto de paragem ( Esperon Café ).

Café Esperon

Forças retemperadas um pouco de convívio com a malta da GaiaBike que também fazia o percurso nesta altura, e toca a atacar as subidas da parte final deste passeio, atingido o topo somos enganados por uma pequena zona de planalto e até parece que estamos a descer para Santiago, mas desenganem-se a agradável descida só antecede aquela que deverá ser a pior subida do percurso, feita em asfalto e já com um cheirinho a Santiago a Subida do Hospital impõe respeito e marca física e psicologicamente o final desta aventura.

Ultrapassado este ultimo obstáculo, eis-nos chegados à parte velha de Santiago, bastando percorrer calmamente as antigas ruelas para atingir o nosso objectivo final, a Praça mesmo em frente da Catedral.

Com a chegada ficamos com a sensação de dever cumprido e com a satisfação de completar um trajecto que nos parecia tão longo mas que afinal nos deixa vontade voltar.

 

Um abraço,

 e até ao próximo passeio a Santiago

 

Gaspar Moreira