Freita Carvalhos 2010


Amigos GaiaBikers
 
 
Como planeado fizemos mais um dos nossos clássicos passeios de BTT
 
Freita/Carvalhos
 
Tudo correu bem, mas estranhamente recebi uma
 
chamada a informar que temos de pagar um Eucalipto
 
danificado durante o nosso passeio, agradeço que
 
me informem quem foi o responsável pelo sucedido para
 
 poder transmitir ao dono da zona florestal !!!!
 
Dono do Eucaliptal
 
 
FOTOS
Clicar na Foto, para ver todas
 
 
 
Vídeo do evento
 
 
 
 
Crónica do evento
 
Pelas 7 da manhã começou-se a reunir o grupo de participantes neste fantástico evento, Bikes arrumadas na carrinha e no autocarro, pequeno-almoço na confeitaria do costume e lá arrancamos rumo ao alto ponto de Partida.
 

Pelo caminho e como já é da praxe, recolha do chato do costume ( Quim Soares ), não sei muito bem como mas este caramelo conseguiu o privilégio de neste evento ter sempre mordomias, ( acho que tem amigos influentes ).

Durante a viagem fiz um pequeno briefing onde informei o estado do trajecto deste ano, e salientei algumas ratoeiras do percurso, chegados ao ponto de partida o frio era intenso, ainda que não tanto como no dia anterior (6ª fiz a marcação do trajecto), éramos aguardados por dois homens do DH, o Nuno e o Gustavo, que por serem de Cesár optaram por ir directos ao topo da Freita, aquecimento feito com a montagem das Bikes, fotos da azáfama dos preparativos e do grupo de participantes (36 Bikers), um pouco de conversa entre os elementos dos três grupos que compareceram ( GaiaBikers / BTTMatosinhos / BTTAlfenense ) e arranque para mais um Freita/Carvalhos.

Parto com um minuto de vantagem de molde a fazer um pequeno vídeo de todo o grupo no inicio da descida, ( para quem não conhece, os primeiros 7 km são feitos a descer ), e depois arranco na cauda do grupo de molde a controlar qualquer problema ou elemento com dificuldades nesta técnica zona. Encosto-me ao grupo e acompanho alguns elementos em maiores dificuldades técnicas até Chão D´Ave, local onde nos aguardavam as carrinhas e o autocarro no sentido de recolher algum elemento que fruto de qualquer percalço tivesse de abandonar o evento ( situação que felizmente não aconteceu ).

A prolongada descida começou por si só a fragmentar o grupo participante, até porque por exemplo o grupo do BTTMatosinhos participava neste evento como forma de treino e como dizemos na nossa gíria vinha com intenções de atarraxar, pelo que disparou e impôs um ritmo elevado durante todo o trajecto, assim como alguns elementos GaiaBikers, que não considerando o evento uma competição, também não pretendiam faze-lo em ritmo de passeio, enquanto outros desfrutavam a paisagem e os trilhos de forma mais atenta e calma, aproveitando para fazer algumas fotos, gozar a fundo as técnicas e difíceis subidas e curtir ao máximo as fabulosas descidas deste passeio.

Alguns km percorridos e fruto de alguma inexperiência nestas andanças, o nosso amigo Sampaio começa a acusar a dureza do trajecto, de tal forma que a progressão começa a ser penosa para ele, pelo que no topo da Abelheira fazemos uma chamada SOS para que a carrinha o venha recolher. Parto então rapidamente em busca do Paulo e do Roberto que se tinham perdido e que estava em crer estavam um pouco á frente, porém alguns km percorridos e contacto telefónico que me identifica o local onde se encontram, infelizmente “para trás”, inverto o sentido ao encontro deles até nos reunirmos e novamente retomamos o sentido correcto do passeio.

Lá pela frente alguns percalços, o trajecto que eu não tinha conseguido marcar devidamente fazia das suas, pois o GPS em local de baixa captação de satélites dava indicações erradas e a falta de marcação confundia alguns participantes que não conheciam bem a zona, o telemóvel não parava de tocar a pedir informações, e obrigava-me a algumas paragens que ainda que bem-vindas para o Paulo que denotava algum cansaço, começavam a fazer-me alguma mossa, pois estava constantemente a aquecer e arrefecer e a parte muscular começava a acusar o para arranca do dia e o acumulado do dia anterior.

Mais á frente curtia-se o passeio, de tal forma que um dos participantes o nosso conhecido Kamikaze no entusiasmo de uma das descidas teve “uma saída de trilho” e um encontro imediato com um eucalipto, demonstrando que os GaiaBikers são atletas de peito rijo, pois no embate de peitos o Nacional literalmente derrubou o de origem Australiana, partindo-o pela raiz.

Chegados a Sandim encontrámos o Manuel Machado ( Quim ), que aguardava a carrinha pois as cãibras estavam a afecta-lo, tendo o Paulo fruto do cansaço acumulado, aproveitado a boleia para regressar aos Carvalhos, enquanto eu e o Roberto cobríamos o resto da distancia e somente pelas 15,30h, cansados deste para arranca constante, chegávamos ao destino e nos reuníamos ao resto do grupo que já almoçava.

Um abraço e até 27 de Fevereiro

Gaspar Moreira

Advertisements